1. Página principal
  2. Lazer
  3. Livros - Revistas
  4. História
  5. História - Lisboa
  6. História - Carcavelos E Parede
"Crónica Geral de Espanha de 1344" Volumes 1, 2 e 3
"Crónica Geral de Espanha de 1344" Volumes 1, 2 e 3
Publicado 10 de maio de 2021

"Crónica Geral de Espanha de 1344" Volumes 1, 2 e 3

100

DestacarPara o topo
  • Profissional

Descrição

"Crónica Geral de Espanha de 1344" Volumes 1, 2 e 3

Edição crítica do texto português por Luís Lindley Cintra

1ª Edição de 1983
INCM - Imprensa Nacional Casa da Moeda
+ ou - 2000 Páginas

Edição Fac-similada

A Crónica Geral de Espanha de 1344 é uma crónica histórica compilada por Pedro Afonso, conde de Barcelos e filho natural do rei D. Dinis de Portugal. A crónica foi redigida em 1344 e reelaborada por volta de 1400. O texto original de 1344 em português se perdeu, mas o texto da refundição de 1400 e as traduções ao castelhano das duas versões ainda existem.

A Crónica de 1344 é considerada a mais importante das crónicas historiográficas portuguesas anteriores ao século XV e um marco da prosa medieval em língua portuguesa.

A Crónica de 1344 é uma obra monumental, que sintetiza o conhecimento histórico trasmitido por vários textos anteriores de vários diferentes autores e procedências. A versão da 1344 da crónica foi elaborada pelo conde Pedro Afonso pouco tempo depois da Batalha do Salado (1340), em que os reinos ibéricos cristãos se haviam unido e derrotado o inimigo muçulmano. Nesse contexto, a crónica do conde é uma celebração da história hispânica e do papel destacado e diferenciado do reino de Portugal durante a Reconquista.

A obra começa com um esquema genealógico da história universal baseado em autores como Jerónimo de Estridão e Eusébio de Cesareia. Segue-se a isso uma descrição da geografia da Península Ibérica e da história dos reis visigodos, da invasão muçulmana e dos governantes do Al-Andalus. Estas duas partes foram baseadas na Crónica do Mouro Rasis, obra árabe traduzida ao português na corte de D. Dinis, além de outras crónicas ibéricas de linhagens. Segue-se uma seção que descreve a origem dos reinos de Astúrias, Leão e Castela, baseada no Livro de Gerações (Liber Regum) navarro (c. 1260) e na chamada Versão Galaico-Portuguesa da Crónica Geral de Espanha, obra hoje perdida, que havia sido traduzida no início do século XIV a partir de crónicas em castelhano da época de Afonso X de Leão e Castela. A última e mais extensa parte refere-se à história dos reis hispânicos a partir de Ramiro I de Aragão até a Batalha do Salado (1340), incluindo a história dos primeiros sete reis de Portugal até Afonso IV. Essa parte é muito influenciada por outra crónica, a chamada Crónica Portuguesa de Espanha e Portugal, que chegou até nós através da IVa das Crónicas Breves de Santa Cruz de Coimbra.

De maneira geral, a Crónica do conde Pedro Afonso segue o modelo cronístico castelhano desenvolvido a partir da Primeira Crónica Geral de Espanha, escrita na corte de Afonso X no último quartel do século XIII. Nota-se, porém, que o conde exalta em sua obra o papel da monarquia e das conquistas portuguesas na história hispânica e na cruzada contra o Islão, diminuindo a primazia castelhana nesse processo.

ÓPTIMO ESTADO - PORTES GRÁTIS
ID: 626476440Reportar

Utilizador

Raul Ribeiro

No OLX desde abril de 2013
Esteve online hoje às 19:58

Localização

Segue-nos nas redes:

Faz download da app:

Prémios:

  • escolhaconsumidor
  • selo